Mês: junho 2016

3 dicas para aumentar a rentabilidade do escritório de advocacia

aumento rentabilidade escritório de advocacia

Aumentar a rentabilidade da empresa é o objetivo de todo empreendedor. Ou seja, quem não quer aumentar o resultado em cima dos investimentos realizados? Para tornar isso realidade, o passo inicial é observar com atenção o que acontece dentro da empresa e no mercado em que se está atuando. Rever rotinas de gestão ou apostar em novas oportunidades, por exemplo, são formas de incrementar a receita visando tornar o negócio mais rentável. Neste post, apresentamos três dicas específicas que podem ajudar o escritório de advocacia a identificar ações que podem ajudar a aumentar a rentabilidade.

Diferencie-se da concorrência

one-1426636_1280 Se o escritório não tem especialidades ou uma especialidade, é interessante buscar oferecer ao menos um serviço em que esteja reconhecidamente entre os melhores no mercado. Especialistas tendem a conseguir melhores honorários em comparação com os profissionais que se apresentam sem que tenham uma área de atuação específica. Estar em áreas pioneiras também possibilita o escritório trabalhar com honorários melhores por não haver uma base de comparação. Seja o primeiro tornar-se uma vantagem competitiva importante para o seu cliente, isso tem valor.

Busque a eficiência

two-1426640_1280 Caso o escritório trabalhe com advocacia de volume ou de massa, o desenho dos processos, a eficiência no trabalho e a gestão da operação são os pontos de atenção para manter as margens, com possibilidade de ampliá-las. No entanto, isso não está relacionado a cobrar mais pelos honorários, mas sim com ser mais eficiente em gestão de processos, sistemas e equipes. Uma maneira de fazer isso é adotar um sistema integrado, como o Vios Jurídico, que ajude a tornar toda a gestão do escritório mais eficiente a partir de um controle maior de todas as etapas relacionadas aos processos.

Tenha sempre um plano B

three-1426639_1280 Para empresas que atuam no setor de serviços a expressão mortal é “custo fixo”, que é tudo aquilo que se tem contratado e que não sofre variação, independentemente do volume de trabalho e dos contratos. É importante que escritórios de advocacia tenham planos tanto para expansão quanto para retração de suas atividades. Isso porque os lucros acumulados podem facilmente serem drenados por um “descasamento” entre faturamento e custo. É importante ainda que se tenham espaços físicos, equipamentos e equipes que possam ser reajustadas, rearranjadas e redimensionadas de acordo com o que acontece no mercado e no cenário econômico.

Quer saber o que mais fazer para aumentar a rentabilidade? Entre em contato com o time do Vios Jurídico.

Cobrança: como ganhar agilidade quando a extrajudicial vira judicial

cobrança extrajudicial e cobrança judicial

O serviço de cobrança vem se constituindo como uma das boas oportunidades de negócio para os escritórios de advocacia. Há uma demanda em crescimento, aquecida por uma clientela de empresas de diferentes ramos de atividade, como condomínios e instituições de ensino, com o objetivo de combater a inadimplência no pagamento de financiamentos e taxas e de créditos educacionais, respectivamente.  Importadoras, financeiras, lojas de automóveis e construtoras também tem contribuído para a expansão no trabalho de cobrança nos escritórios.

Como forma de se diferenciar no mercado, advogados que já atuam neste segmento procuram ir além de um simples trabalho de cobrança, seja ela extrajudicial ou judicial. São mais do que cobradores. Por isso o foco é trabalhar na recuperação de crédito para que a empresa que contratou o escritório ganhe duas vezes. Primeiro, recebendo os atrasados do cliente inadimplente. E segundo, abrindo a possibilidade deste mesmo cliente voltar a ter novamente capacidade de pagamento para continuar comprando produtos e serviços da empresa.

Fluxo contínuo de informações para simplificar processo judicial

Para tudo isso, controle e rotina tem sido parte importante da estratégia dos escritórios de advocacia que desejam ter sucesso no segmento de cobranças. Se a ideia é investir na abordagem da recuperação de crédito citada acima, o sistema, com base nas informações reunidas ao longo do processo, ajuda a trabalhar com o perfil do devedor para estabelecer também as melhores ações para efetuar a cobrança.

Mas o auxílio de um sistema integrado como o Vios Jurídico, além de agilidade e segurança na gestão das informações, também facilita a vida do escritório quando uma cobrança extrajudicial se torna judicial. Normalmente as empresas tratam a cobrança em processos fragmentados, o que dificulta o trabalho de quem fica responsável pela cobrança extrajudicial. Mas o fato de encarar as duas formas de cobrança como um fluxo contínuo de informações, usando um sistema integrado, fará com que, no futuro, a necessidade do escritório de fazer o processo judicial se torne bem mais simples.

Partindo da lógica de proporcionar previsibilidade, o que o Vios Jurídico propõe é que desde os primeiros passos o escritório de advocacia possa tratar o processo como algo que pode ser judicializado caso não se chegue a um acerto extrajudicial. Além de pensado para otimizar o trabalho de quem faz o serviço, o uso do Vios Jurídico no processo de cobrança extrajudicial também induz o time do escritório a acumular etapas, documentos e procedimentos de forma que futuramente, caso seja necessário, se tenha um “dossiê” já elaborado para a etapa seguinte.

O processo de cobrança com a ajuda do Vios Jurídico

Em depoimento ao blog do Vios Jurídico, Gabriel Kazapi, do escritório de advocacia Borchardt & Advogados Associados e da empresa de consultoria em recuperação de créditos Borchardt & Kazapi Cobranças Ltda., contou como o uso do software impactou na gestão do serviço de cobrança.

“O uso do Vios Jurídico facilita o serviço de cobrança em diversos aspectos. Com ele carregamos o histórico de cada uma das atividades desde o início do procedimento de recuperação do crédito individual até o findar do processo judicial. Ter o software nos permite saber quantas vezes o inadimplente foi contatado, quais as formas de contato e o relato de cada uma delas. Com o Vios podemos aferir percentualmente o resultado de cada cliente, bem como o comportamento deste resultado.

A automatização de rotinas foi, sem dúvida, o grande acréscimo de produtividade, contudo foi a integração do sistema com o financeiro e a gestão de processos judiciais que nos deu maior governança sobre a área de cobrança, impressionando hoje a todos os nossos clientes pela velocidade com que buscamos e prestamos informações, bem como nos possibilitando saber, inexoravelmente, quais carteiras de clientes são rentáveis, quais não são, quais detém maior apelo às práticas extrajudiciais ou judiciais, entre outros aspectos.”

Case: Quer saber mais sobre o serviço de cobrança nos escritórios de advocacia e como o Vios Jurídico ajuda nesta tarefa? Confira a entrevista com Gabriel Kazapi, do escritório de advocacia Borchardt & Advogados Associados e da empresa de consultoria em recuperação de créditos Borchardt & Kazapi Cobranças Ltda.

Como controlar honorários de sucumbência

Na gestão de um escritório de advocacia é preciso controle rígido para que os prazos de processos não sejam perdidos, o que pode causar desconforto na relação com clientes e acarretar em prejuízos no caixa do escritório. E é justamente na gestão financeira que uma rotina de controle, associada ao uso de um sistema integrado eficiente, faz enorme diferença.

São muitos os pagamentos, mas também os recebimentos que precisam ser acompanhados de perto e com atenção. O que mais desafia os escritórios costuma ser o controle dos honorários de sucumbência.

Mas o que faz desta tarefa um desafio?

honorário de sucumbênciaPor uma razão principal: a influência sofrida pela variável tempo, que caracteriza o transcorrer dos processos na Justiça brasileira, para o recebimento desta remuneração. Via de regra as demandas judiciais tornam-se longas e imprecisas quanto ao seu encerramento. Sabe-se quando começa o trâmite, mas a data de finalização é sempre difícil de precisar. E nesta demora por uma decisão final, corre-se o risco de deixar passar o recebimento do honorário de sucumbência simplesmente por não se manter um acompanhamento das ações movidas pela equipe do escritório que podem resultar neste tipo de remuneração. Perde-se prazos e dinheiro.

A remuneração do escritório

O honorário de sucumbência é o honorário que via de regra, a parte derrotada no processo deve pagar para a que venceu com o objetivo de reembolsar as custas processuais e os gastos com a contratação do advogado ou do escritório jurídico. Entre os clientes do escritório até pode haver um certo desconhecimento sobre as diferenças entre os tipos de honorários. Mas entre os profissionais responsáveis pela gestão, é preciso ter um controle eficiente sobre o que entra no caixa fruto de honorários de sucumbência.

Não dá para ignorar os honorários de sucumbência. Quase todos os processos quando vencidos pelo escritório geram algum tipo de honorário relacionado à sucumbência, ou seja, ao fim do processo. Em alguns casos, esses podem ser a melhor remuneração do escritório no processo, seja pela condenação da outra parte, seja por algum tipo de êxito acertado em contrato.

Controle vinculado entre financeiro e jurídico

O fato de fazer a diferença no caixa do escritório reforça a necessidade de que se criem formas de controlar o processo para saber com precisão e no tempo correto se há ou não honorários de sucumbência para serem recebidos. É importante ainda ter a garantia que o setor jurídico consiga informar o setor financeiro desta possibilidade de remuneração para que possa fazer a devida cobrança dos valores em tempo hábil.

A dificuldade em obter melhores resultados nesta modalidade de honorário reside, na maioria das vezes, no fato de não haver um controle vinculado entre financeiro e jurídico. O uso de um sistema integrado pode ajudar a resolver isso. Com isso, é possível que automaticamente uma etapa do processo que indique uma sucumbência seja atrelada a uma tarefa do financeiro. Assim cria-se uma forma de minimizar o risco de não cobrança da sucumbência.

Quer saber como o Vios Jurídico pode ajudar no controle dos honorários de sucumbência? Entre em contato.

Contencioso de massa: 5 habilidades da equipe para oferecer um serviço de resultados

contencioso de massa

Oferecer serviço de contencioso de massa é uma oportunidade que escritórios de advocacia não podem abrir mão para aumentar sua rentabilidade. Mas, como já destacado no blog em posts e entrevistas, para que o contencioso de massa seja realmente uma oportunidade é preciso investir em gestão para aprimorar os processos que envolvem este tipo de serviço.

Neste sentido, além de contar com a ajuda de um sistema integrado eficiente, o escritório também deve observar a qualificação da equipe para o gerenciamento de grandes volumes de ações. Toda a equipe, e não somente o time de advogados, precisa dominar habilidades complementares que farão a diferença na gestão do contencioso de massa.

Dependendo do volume de ações e da quantidade de dados, pode haver necessidade de que a equipe seja multidisciplinar com a inclusão de especialistas em sistemas de informação. Mas em linhas gerais o escritório deve promover a capacitação com foco em cinco habilidades específicas que são fundamentais para um gerenciamento eficiente do contencioso de massa.

Habilidades fundamentais para trabalhar com contencioso de massa

 

1 – Capacidade técnica

Entender da questão legal e do funcionamento do judiciário ajudam a compreender toda a complexidade e responsabilidade que envolvem o contencioso de massa.

2 – Capacidade de gestão

Planejar, organizar, comandar e executar as tarefas relacionadas ao contencioso de massa.

3 – Capacidade de entender processos

Saber como funcionam as etapas do trabalho, como se encadeiam, e também como se organiza isso para que uma atividade complemente a outra, evitando assim que ocorra retrabalho.

4 – Capacidade de analisar dados e processos

Conseguir entender como se monta um relatório, de quais campos para preenchimento são necessários e de onde se extraem os dados. Com foco na busca por maior produtividade, também deve saber como os processos são montados e de que forma são integrados ao sistema utilizado.

5 – Capacidade de coordenar e motivar pessoas

É importante que seja escolhido um coordenador do trabalho que também fique responsável por manter a equipe sempre motivada para realizar tarefas que às vezes podem se tornar repetitivas e monótonas.

Sobre contencioso de massa, leia também:

Como um software integrado ajuda a gestão do contencioso de massa

Contencioso de massa: 3 dicas para diferenciar o serviço

Entrevista com Rodrigo Infantozzi: “Grande diferencial do Vios Jurídico é fluxo de trabalho claro e operações muito intuitivas”

Contencioso de massa: como gerenciar?

Qual a projeção dos grandes contenciosos de massa?

Entre em contato e saiba mais sobre como o Vios Jurídico pode ajudar a equipe do escritório de advocacia na gestão do serviço de contencioso de massa.