Entrevista: Os desafios da gestão de cobrança

Entrevista: Os desafios da gestão de cobrança

A demanda pelo serviço de cobrança nos escritórios de advocacia tem crescido e ajudado a abrir portas para novos clientes. É o que diz Gabriel Kazapi, do escritório de advocacia Borchardt & Advogados Associados e da empresa de consultoria em recuperação de créditos Borchardt & Kazapi Cobranças Ltda., nesta entrevista ao blog Vios Jurídico. Diante do crescimento, Kazapi analisa quais os desafios dos escritórios na área de gestão de cobrança e destaca a importância de atuar neste segmento. Ele também aponta os benefícios de utilizar um software integrado, como o Vios Jurídico.

Confira a entrevista.

Vios – Quais são os principais desafios na gestão de cobrança por escritórios de advocacia?

gabriel_zapariKazapi – A gestão da recuperação de créditos é o ponto nevrálgico da atividade, pois para ela se tornar atrativa do ponto de vista econômico, ela tem que se dar em larga escala, gerando, portanto, uma necessidade de controle sem tamanho, derivando daí um sem número de rotinas e procedimentos que devem ser adotados, sob pena de mácula no bom relacionamento com nosso cliente final, pois temos que ter das mais comezinhas até as mais apuradas das responsabilidades, passando pela forma de abordagem do devedor até a prestação de contas com o cliente final, evitando erros contábeis, produção de responsabilidades civis e criminais, etc..

Vios – Como tem sido a demanda por este tipo de serviço (cobrança) nos escritórios de advocacia? Cobrança relacionada a condomínios tem maior demanda?

Kazapi – Esta demanda tem sido crescente, sendo que ela pode ser a porta de entrada do escritório nos potenciais clientes, sendo uma excelente oportunidade de demonstrarmos a qualidade de nossos serviços, como também pode ser a entrada de escritórios concorrentes ao nosso, caso não dermos a real importância que o tema exige. A demanda parte dos mais variados clientes, sendo que devemos estar preparados para deter a resiliência necessária para receber cada uma dessas variadas necessidades e reagir a elas da melhor forma possível, com a melhor solução cabível para o cliente.

Com relação a pergunta específica de condomínios, de fato este é um bom segmento para esta atividade, pois detém aquilo que por vezes é o maior desafio, a garantia de um bem para a efetividade da prática de cobrança, pois o próprio imóvel é responsável pela dívida condominial, naquilo que chamamos de dívida propter rem (própria da coisa), assim, se esgotadas todas as tentativas de cobrança, o próprio bem vai a leilão para que, com o resultado desde, ocorra o saldo do débito. Mas vários são os segmentos que pressionam por esta demanda, sendo que em nossa equipe temos muito destaque na recuperação de créditos educacionais e de condomínios, como bem mencionado por você.

Vios – Qual a importância de um escritório de advocacia trabalhar com a cobrança extrajudicial e judicial?

Kazapi – Entendo que um escritório multifunção, que detenha o intuito de atender as mais variadas áreas da advocacia, com o desiderato final de poder oferecer a solução jurídica completa para as necessidades de seus clientes, deve oferecer, entre seus mais variados serviços, a possibilidade da gestão de recuperação de créditos. Aliás, aqui eu gostaria de fazer uma consideração preambular, que sirva de referência para este diálogo. Em nosso time, encaramos a cobrança judicial e extrajudicial não como uma simples atividade de cobrador, mas sim como uma assessoria em recuperação de créditos. Isso se dá por inúmeros motivos, pois entendemos que a atividade desempenhada de fato tem que se dar no sentido de recuperar a capacidade do devedor (aquele que inadimpliu com nosso cliente) retomar sua capacidade de pagamento, possibilitando a ele honrar sua dívida e ao nosso cliente receber seu crédito.

Sempre tratamos o devedor com extrema cordialidade, pois partimos do pressuposto de que ninguém deixa de honrar seus compromissos financeiros de forma deliberada, mas sim por que atravessou ou atravessa por alguma fase de dificuldade momentânea em sua história de vida. Doutro turno, queremos, para além de recuperar o recebível do cliente, queremos recuperar a capacidade do devedor de novamente se tornar cliente do nosso cliente, isto é, devolver ao devedor a capacidade de contratar com nosso cliente final, que se jacta duas vezes, uma por ter recebido aquilo que já se encontrava em inadimplência e duas por ter a possibilidade de restabelecer a relação com seu cliente final. Em breves palavras, esta seria a filosofia com que encaramos este setor de nossa estrutura, a de recuperação de créditos.

Vios – Quais são as áreas de atuação no segmento de cobrança (condomínios, universidades…) dentro do seu escritório e quais as peculiaridades de cada uma?

Kazapi – Nosso segmento de recuperação de créditos iniciou com a necessidade de alguns condomínios em recuperar seus recebíveis, mas foi com as Universidades e outras Instituições de Ensino que nasceu a necessidade de incremento tecnológico na gestão da recuperação de créditos, pois a partir deste segmento o volume de “leads” aumentou de forma significativa. Contudo, hoje temos clientes que demandam esses serviços, dos mais variados segmentos, importadoras, financeiras, lojas de automóveis, construtoras, comércios, etc., sendo que para cada uma delas customizamos o serviço, mas mantemos a linha de gestão da atividade, em especial no que tange à disponibilidade de informações sobre o status da cobrança e em relação aos repasses financeiros devidos.

Vios – De que forma um software integrado jurídico e de cobrança como o Vios beneficia ou facilita o trabalho da equipe do escritório?

Kazapi – Facilita em diversos e demasiados aspectos, pois carregamos o histórico de cada uma das atividades desde o início do procedimento de recuperação do crédito individual até o findar do processo judicial de cobrança. Ter o software nos permite saber quantas vezes o inadimplente foi contatado, quais as formas de contato e o relato de cada uma delas. Com o Vios podemos aferir percentualmente o resultado de cada cliente, bem como o comportamento deste resultado. A partir da ferramenta, podemos automatizar determinados processos, bem como conseguimos uniformizar a questão financeira, que é sempre objeto de preocupação, pois o que pertence ao escritório é apenas uma pequena parte daquilo que é cobrado.

Vios – Qual era a rotina antes de utilizar o Vios e quais as principais mudanças a partir do momento em que passou a usá-lo?

Kazapi – Tínhamos que lidar com uma série de planilhas e relatórios. Cada planilha ou relatório acaba por “ganhar a cara” do operador do momento ou daquela cobrança ou daquele cliente. Por diversas vezes precisávamos buscar informações de anos atrás, o que geralmente retiravam horas preciosas do dia de um profissional. A partir da utilização do software, podemos colocar realmente em prática as rotinas que foram previamente idealizadas para o setor de recuperação de créditos, bem como pudemos aprofundar em seu aperfeiçoamento, culminando não só na gestão do procedimento, mas também na gestão de seu resultado.

Vios – Qual o ganho de produtividade com as rotinas de atualização de monetária, geração de acordos e integração com o financeiro? É possível exemplifica na prática?

Kazapi – Não temos uma estatística ou uma medição relacionada ao número de horas trabalhadas para cada uma dessas questões, mas é possível afirmar que com o aprofundamento de utilização do software, combinado com a constante melhoria do mesmo, o operador final, aquele que fica em contato direto com os inadimplentes, passou a ter as suas horas de trabalho cada vez mais dedicadas a sua tarefa fim, que é o efetivo contato com o devedor e a solução do conflito, gerando, por consectário lógico, um resultado financeiro muito mais atraente.

Igualmente, a possibilidade de aumento na solução dos conflitos na esfera extrajudicial, dada pela implantação do software de gestão, desafogou o setor de recuperação forçada, que antes recebia mais de 65% (sessenta e cinco por cento) das carteiras de cobrança encaminhadas, reduzindo hoje este número para em torno de 40% (quarenta por cento), dependendo do segmento, o que significa dizer um resultado mais profícuo par ao cliente final somado ao fato de recebermos antecipadamente o crédito sem os custos de um procedimento judicial. A automatização de rotinas foi, sem dúvida, o grande acréscimo de produtividade, contudo foi a integração do sistema com o financeiro e a gestão de processos judiciais que nos deu maior governança sobre a área, impressionando hoje a todos os nossos clientes pela velocidade com que buscamos e prestamos informações, bem como nos possibilitando saber, inexoravelmente, quais carteiras de clientes são rentáveis, quais não são, quais detém maior apelo às práticas extrajudiciais ou judiciais, etc..

Leia também: Como ganhar agilidade quando a cobrança extrajudicial vira judicial

Conheça o Vios Jurídico e todas as vantagens que vão fazer a diferença na gestão das informações do seu escritório de advocacia e ou do departamento jurídico da empresa onde trabalha.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *