Mês: novembro 2015

Quanto tempo você se dedica ao trabalho?

Saber gerenciar tempo e trabalho é um desafio
Saber gerenciar tempo e trabalho é um desafio

Ao acordar você abre a agenda, liga a televisão no noticiário matinal, lê as principais notícias do jornal impresso. Entra no carro e começam as ligações. Agenda reuniões, desmarca reuniões, liga para os clientes, recebe feedback e por aí vai. Essa é a rotina atual de muitos trabalhadores.

Segundo matéria publicada no site da Revista Exame um estudo aponta E o expediente continua fora do escritório: 45% dos brasileiros levam pendências para casa pelo menos três vezes por semana. Leia a matéria na íntegra.

Diante de tamanha jornada vem a pergunta: estamos trabalhando muito ou mal? Atualmente, a mão de obra está dispersa, as estruturas muitas vezes são matriciais, há muitas informações circulando, muita gente envolvida nas tarefas e maior dependência dos outros para executar os serviços. Para buscar um equilíbrio os trabalhadores se esforçam e dedicam mais tempo. Porém, muitas vezes não dão conta das tarefas. Vale lembrar que estamos em um momento de transição com uma conjuntura complexa de fatores que estão levando as pessoas a trabalharem mais, como por exemplo: acesso ilimitado a informações, distrações e ladrões tecnológicos de tempo, trânsito cada vez mais caótico, entre outros.

Vivemos em uma sociedade antiga que trabalha sobre uma plataforma nova. Ou seja, tudo que a tecnologia pode melhorar – seja a exponencialidade, a cooperação ou  a simplificação – ainda não acontece de fato. No entanto, já existem softwares disponíveis no mercado que podem ajudar e muito na gestão e organização do dia a dia da sua empresa e na sua organização pessoal.

Neste jogo de “tudo para todos ao mesmo tempo” essas ferramentas são fundamentais, já que muitas vezes as pessoas não têm clareza sobre aquilo que de fato importa e faz sentido. Você se reconhece nessa situação? Quer mudar sua realidade? Acompanhe os próximos posts e confira dicas infalíveis para reverter esse cenário.

Em períodos de crise, como um escritório de advocacia empresarial deve atuar?

Assessoria jurídica
Assessoria jurídica

Em tempos de crise, e devemos reconhecer que há uma crise – não vamos entrar nas causas, tamanho e responsabilidades, pois este não é o objetivo – a assessoria jurídica de uma empresa, independente da área, precisa entender esse contexto e ser uma aliada da gestão – seja por meio de um escritório de advocacia, seja por meio de um departamento jurídico interno.

Em tempos difíceis, em geral, as decisões do gestor são destinadas a proteger o setor financeiro da empresa. Hoje em dia, a maioria das empresas que chegam à falência, ‘quebram’ por problemas de caixa, não necessariamente por problemas de resultado. Empresas ‘quebram’ por problema de resultado se tiverem resultados ruins por um longo período de tempo. Mas, o caixa é implacável com as empresas, ele não perdoa.

Diante disso é muito importante que os escritórios de advocacia e os departamentos jurídicos trabalhem sob algumas premissas, que servem em tempos de bonança, mas nas crises são imprescindíveis. Conheça algumas delas:

1) Velocidade: na crise precisamos de velocidade, as coisas precisam andar de forma ágil e as soluções tem que aparecer rapidamente;

2) Simplicidade: não há tempo e espaço para sofisticação. Quanto mais simples de ser executada e entendida, melhor;

3) Proteger o caixa: quanto mais dinheiro em caixa melhor, mais tranquilidade os gestores tem para tomar suas decisões;

4) Acordo: normalmente é um bom período para acordos uma vez que todos estão mais flexíveis e dispostos, o que é importante, pois a judicialização nem sempre é o melhor caminho.

Acreditamos que se os escritórios e os departamentos jurídicos entenderem essas simples e valiosas premissas, terão papeis muito importantes na vida das empresas.

Qual o papel e forma de atuação de um escritório de advocacia empresarial?

Toda empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte, necessita de assessoria jurídica por diversos motivos. No dia-a-dia, os empresários precisam de orientações legais de diferentes naturezas: trabalhista, para a contratação dos funcionários; tributária, para pagamento correto dos tributos; empresarial, para garantir segurança jurídica no planejamento e celebração de negócios e investimentos; e, sempre como último recurso, contenciosa, na defesa dos interesses da empresa perante os tribunais. O intuito deste post é esclarecer o que a área empresarial de um escritório de advocacia pode fazer para que o negócio de seus clientes cresça com segurança e credibilidade.

As atitudes do advogado em um mundo empresarial vêm, no decorrer dos anos, sendo objeto de questionamento por aqueles de fora do ambiente jurídico. Por desconhecimento da função e também pelo fato de ter de muitas vezes “dificultar” operações consideradas por eles inseguras, os profissionais do Direito recorrentemente são tidos como “vilões” nas empresas. Na maioria das vezes, por o advogado não participar diretamente do processo produtivo de uma sociedade empresarial, ele é encarado como “despesa” ou ainda “custo”. Mas aí que está o engano!

A advocacia empresarial é importante para que haja uma organização no ambiente de trabalho. Baseia-se em uma prestação de serviços altamente especializados, a qual depende de profissionais capacitados e com domínio profundo do assunto. A essência da advocacia empresarial é garantir a segurança legal e formal à extensa e complexa gama das relações que constituem o universo dos negócios. Acionistas, fornecedores, empregados, consultores, prestadores de serviços, atividades terceirizadas e, claro, os clientes.

O que a assessoria jurídica faz pela sua empresa
O que a assessoria jurídica faz pela sua empresa